Search
segunda-feira 21 agosto 2017
  • :
  • :

Reorganização do atendimento de Saúde no Vale Histórico e Circuito da Fé está praticamente definida

Em reunião realizada na segunda-feira, dia 20, em Piquete, com a presença de 11 dos 17 prefeitos dos municípios do Vale Histórico e Circuito da Fé, foram discutidos com o deputado estadual Padre Afonso Lobato (PV) e com a diretora regional da Saúde (DRS XVII), Sandra Tutiashi, alguns detalhes da reorganização do sistema de atendimento à saúde pública naquela região.
No encontro foram apresentados os desdobramentos das discussões já realizadas pelos gestores regionais e apresentadas na semana passada em reunião com o secretário de Saúde do Estado, David Uip, realizada em São Paulo.

SANTA CASA DE GUARATINGUETÁ

De acordo com Padre Afonso, uma das mudanças importantes será a transformação da Santa Casa de Guaratinguetá em hospital de referência para alta complexidade, com a possibilidade também de assumir as cirurgias de urgência e emergência e de média complexidade atualmente realizadas pela Santa Casa de Aparecida.
“Essa medida é muito importante porque vai dar vazão à demanda do Vale Histórico e consequentemente aliviar o fluxo no Hospital Regional de Taubaté”, disse Padre Afonso. Segundo ele, todas as demais santas casas terão algum impacto com essa redefinição da rede de atendimento.

MUDANÇAS

No caso da Santa Casa de Aparecida, a proposta é transferir a maternidade para Lorena e manter as internações de clínica médica e cirúrgica, pediatria clínica e UTI adulto. Na Santa Casa de Cruzeiro, que é referência para nove municípios, além dos serviços de pronto socorro, também serão retomadas as cirurgias gerais, obstetrícia, clínica médica, diagnósticos e outros serviços.

LEITOS DE UTI

A implantação de mais 10 leitos de UTI – que segundo levantamento são deficitários na região, somando apenas 31 dos 70 necessários – é uma das reivindicações da Santa Casa de Lorena.
“Os leitos seriam instalados e custeados pelo Estado, mas só até serem habilitados pelo Ministério da Saúde”, explica Padre Afonso. No caso de Guaratinguetá, outros 20 leitos seriam instalados e custeados pelo Estado, enquanto Piquete teria mais 40 leitos de clínica médica.