Search
domingo 20 agosto 2017
  • :
  • :

Prefeitura suspende feira da madrugada em Taubaté

A Prefeitura de Taubaté suspendeu nesta quinta-feira, 25, uma feira itinerante que iria acontecer na cidade neste final de semana – dias 26,27 e 28, após uma solicitação do Sincovat (Sindicato do Comércio Varejista).
A “Feirinha dos Fabricantes do Brás e 25 de Março” como é mais conhecida, iria acontecer na Rua Nabor Antonio Crozariol, no bairro Residencial Estoril, ao lado do shopping Via Vale. Os fiscais da prefeitura foram até o local e notificaram o proprietário por falta do alvará de funcionamento.
Segundo o Sincovat, essas feiras ilegais atrapalham e muito o comércio da cidade, prejudicando as vendas e gerando desemprego no varejo. A entidade informa ainda que, geralmente, esses fabricantes se instalam no município próximos de datas importantes para os lojistas, como o Dia dos Namorados, comemorado no próximo dia 12 de junho
No final do mês de março, durante vista a Taubaté para a inauguração da nova sede da Delegacia Seccional de Polícia Civil, o Governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), disse à equipe de TV do Sincovat, que iria realizar uma ação conjunta com as prefeituras da RM Vale, para não liberar os alvarás de funcionamento dessas feiras.
Um levantamento recente da Federação do Comércio do Estado de São Paulo – FecomercioSP, revelou que só na região de Taubaté, composta por 39 municípios, as feiras não legalizadas podem chegar a movimentar cerca de R$ 9,8 milhões por dia de funcionamento – o equivalente ao faturamento de um dia do comércio formal dos setores de vestuário, tecidos, calçados, eletrodomésticos, eletrônicos, lojas de departamento, móveis e artigos de decoração, os mais afetados pela informalidade.
Se essas feiras funcionarem uma vez por mês, ao longo de um ano, em todos os municípios da região, podem faturar mais de R$ 118 milhões. Além desses valores, ao longo de um ano, 2,3 mil empregos deixam de ser criados no varejo formal.