Search
sexta-feira 24 novembro 2017
  • :
  • :

Santo Verbo – Ave todas as mulheres

Aldenita de Sá Leitão

Ave Todas as Mulheres

nesta noite de esplendor,

Ave Mulher sempiterna,

Canta o mundo em seu louvor!

Mulher sempre iluminada

do lar é a soberana,

Mulher, por Deus escolhida

para Mãe da raça humana.

 

Nosso estado sente orgulho

por ter nascido aqui,

a brava Clara Camarão,

esposa do Índio Poti.

Nasceu assim nossa história

com uma heroína verdadeira,

defendendo o seu povo,

nossa primeira guerreira.

Outras mais lhe sucederam,

Mulheres de alto conceito,

ontem, hoje e amanhã,

merecem nosso respeito.

Com a força do trabalho

sua luta nos ensina

que muita garra e valor

há na MULHER NORDESTINA.

A MULHER JOVEM, de si

desprende calor, leveza,

sente o palpitar da vida

com sua graça e beleza.

Equilíbrio e quietude

estão na MULHER MADURA,

em seus sonhos outonais

 vive a vida em plenitude.

A respeitável ANCIÃ,

cofre de recordação,

tem olhos cheios de tempo,

lembranças no coração.

A força da MULHER CULTA

nossos sentidos inebria,

tem retórica nos lábios,

transmite sabedoria.

A simples MULHER INCULTA,

seu alfabeto é a intuição

lê nos olhos de seus filhos

a mais profunda lição.

Gerindo empreendimentos,

de forma extraordinária,

determinada e segura

surge a MULHER EMPRESÁRIA.

Com as letras do alfabeto,

qual fiel desbravadora,

abre os caminhos da luz

a MULHER EDUCADORA.

Humilde MULHER OPERÁRIA,

 tão brava, tão destemida,

mãos e rosto bem marcados,

lidando, com afinco, a vida.

Na imaginação, a luz,

nos olhos, sonhos irmãos,

tem a MULHER ARTESÃ

gestos divinos nas mãos.

A MULHER DONA-DE-CASA,

uma família a zelar,

é um anjo de bondade,

doce” rainha do lar”.

E a MULHER POETISA

alma feita de harmonia

vê a lua prateando a noite,

vê  o sol dourando o dia.

MULHER-MÃE tão sublimada

guarda com muito calor,

nas entranhas, a semente

da Vida, da Paz, do Amor.

A Santa Mãe de Jesus

que só pureza irradia,

Mãe de todas as Mulheres

a doce Virgem Maria.

Sinto-me gratificada

rendendo graças a Deus

por ter nascido mulher

pra ser Mãe dos filhos meus.

Nísia Floresta Brasileira Augusta,

teu nome é monumental

quase dois séculos depois

celebramos teu natal.

Foste grande educadora

e famosa beletrista

poetisa primorosa

forte abolicionista.

“Direito das Mulheres e Injustiça dos Homens”,

obra denunciadora

dos direitos da Mulher,

uma grande defensora.

Um pedaço do Brasil,

numa homenagem verdadeira,

guarda tua alma ecológica

a Floresta Brasileira.

Nesta noite iluminada,

do céu colhi com ternura

ramos de estrelas azuis

que serão depositados

“In memoriam”, a teus pés,

quais ramalhetes de luz.

E, onde estiveres,

decerto dirás conosco:

AVE TODAS AS MULHERES!

 

Homenagem às Mães

*Poema apresentado em Sessão Solene da Academia Feminina de Letras do Rio Grande do Norte. Em particular, homenageio minha Mãe com o máximo de Louvor com essa poesia de sua autoria.

Aldenita de Sá Leitão é natural do Rio Grande do Norte, aposentada da Universidade Federal do RN, membro da Academia Feminina de Letras do RN, protagonista de documentário Educativo, rodado em Mostra de vídeo em Portugal e em cidades do Brasil.

 

Por Tibério de Sá Leitão