Search
sexta-feira 20 outubro 2017
  • :
  • :

Preço do alcool sobe em 17 estados

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 17 Estados brasileiros e no Distrito Federal, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Em outras oito unidades da federação houve recuo nos preços.
Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado avançou 0,67% na semana passada, de R$ 2,390 para R$ 2,406 o litro. No período de um mês, os preços do combustível subiram 9,56% nos postos paulistas.
A maior alta semanal, de 4,63%, ocorreu na Paraíba, seguido por Rondônia, com aumento médio de 2,68%. Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP, houve alta de 0,73% no preço do etanol na semana passada. O maior recuo do etanol na semana passada, de 10,45%, foi em Roraima, seguido por Alagoas (-1,57%).
No período de um mês, os preços do etanol recuaram apenas em Roraima, em 2,04%, e no Tocantins, com 2,36%. Os maiores aumentos mensais foram em Mato Grosso, de 12,74%, e em Goiás, de 11,49%. Na média brasileira, o preço do médio do etanol nos postos brasileiros pesquisados pela ANP acumulou aumento de 7,84% no período de um mês.
No Brasil, o preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 1,989 o litro, em São Paulo, e o máximo individual foi de R$ 4,21 o litro, no Rio Grande do Sul. O menor preço médio estadual foi de R$ 2,406 o litro, em São Paulo, e o maior preço médio foi verificado no Acre, de R$ 3,626 o litro.

Competitividade

Os preços médios do etanol hidratado são competitivos com os da gasolina em São Paulo e em Mato Grosso, segundo dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas. O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.
Em Mato Grosso, onde o etanol está mais competitivo, o combustível é vendido em média por 62,83% do preço da gasolina. Em São Paulo a paridade está em 68,37%. Em Minas Gerais o etanol custa em média, 70,08% do preço da gasolina e em Goiás a paridade é de 70,35%, ou seja, é praticamente indiferente o uso dos dois combustíveis nos veículos flex nesses estados.