Search
quarta-feira 18 outubro 2017
  • :
  • :

Polícia Federal descobre quadrilha que fazia dinheiro falso em S.José dos Campos

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta segunda-feira, 25, quando deflagrou a Operação Moneda que descobriu uma quadrilha criminosa de São José dos Campos que falsificava cédulas de dinheiro . Inicialmente, 12 pessoas foram presas em flagrante, durante o cumprimento de 26 mandados.
Os policiais tomaram conhecimento da possível quadrilha em outubro de 2016, quando uma vítima foi até o plantão da Polícia Federal de São José e registrou a denúncia sobre o recebimento de notas falsas. Ao iniciar as investigações, relatos de outras vítimas apresentaram o mesmo modo operante da quadrilha.
“Quando uma pessoa compareceu ao plantão da Polícia Federal em São José dos Campos e relatou que havia anunciado, pela “internet”, a venda de um aparelho celular, foi registrado o primeiro caso. O comprador foi à casa da vítima e comprou o objeto por R$ 1.100, pagos com cédulas de R$ 100, , levando o aparelho. A vítima só percebeu que o dinheiro era falso mais tarde, após o que foi registrar a ocorrência. .
Em um ano de investigação, a PF descobriu a atuação dessa quadrilha no Vale e em outros estadoa, além de São Paulo, com identificação de três suspeitos na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e outros integrantes nas cidades de São Paulo, Guarulhos e Mogi das Cruzes. Além disso, as cédulas seriam utilizadas por criminosos nos Estados de Rondônia, Rio de Janeiro, Paraíba e Brasília – DF.
“Além dos 26 mandados que estão sendo cumpridos, as investigações apresentam os seguintes resultados parciais: Fechamento de uma “fábrica” de cédulas falsas na cidade de Mogi das Cruzes, com prisão em flagrante de três pessoas e apreensão de cédulas falsas e equipamentos utilizados para fabricação das cédulas; Prisão de 09 suspeitos, incluindo dois presos em flagrante no estado da Paraíba; Apreensão de mais de R$ 200 mil em cédulas falsas, incluindo valores remetidos pelos suspeitos via Correios”, diz em nota.
Todos os presos foram encaminhados para a carceragem da Polícia Federal, onde permanecem à disposição da Justiça Federal.