Search
segunda-feira 21 agosto 2017
  • :
  • :

Alckmin autoriza início da operação da Voa São Paulo

Concessão garante investimentos para impulsionar o desenvolvimento regional; aeroportos serão modernizados com ampliação na oferta de serviços aos usuários

O governador Geraldo Alckmin participou nesta terça-feira, 18, de evento para a assinatura do contrato do Voa São Paulo, consórcio que inicia amanhã a operação assistida de cinco aeroportos paulistas localizados em Campinas, Jundiaí, Bragança Paulista, Itanhaém e Ubatuba. Essa é a primeira vez que aeroportos estaduais serão administrados pela iniciativa privada. A concessão prevê que, ao longo dos 30 anos de contrato, o Voa São Paulo deve investir ao menos R$ 93,6 milhões em melhorias nos aeroportos. Além das atividades aeroportuárias, a concessionária pode explorar a capacidade imobiliária e de oferta de serviços dos aeroportos. Assim, o Voa São Paulo pode implantar centros de convenções, hotéis, café, restaurantes e lojas, por exemplo. Atualmente, esses aeroportos têm perfil para aviação executiva e táxi-aéreo, mas havendo interesse da concessionária e de companhias aéreas, o Voa São Paulo poderá realizar investimentos para capacitá-los para aviação comercial com oferta de voos de linha.
“A concessão abre um novo ciclo de desenvolvimento na área da aviação executiva no Estado de São Paulo, com oportunidades de novos serviços para as cidades, com geração de empregos. Cerca de um terço de todo o investimento previsto será realizado nos primeiros anos da concessão”, afirmou o governador.
Os investimentos a serem feitos na infraestrutura aeroportuária potencializam o crescimento regional, atraem novos negócios e impulsionam a geração de empregos, além de proporcionar benefícios diretos aos usuários das aeronaves, que realizam mais de 135 mil pousos e decolagens nesses cinco aeroportos.

Confira abaixo o quadro com os investimentos previstos para cada aeroporto ao longo do contrato de concessão.

Ficha técnica dos aeroportos

Aeroporto Estadual Campo do Amarais (Campinas) – Opera com aviação geral (executiva e táxi aéreo). Possui pista de 1.650 m, terminal de passageiros com 300 m² e estacionamento com capacidade para 50 veículos. Está localizado a oito quilômetros do centro da cidade. Em 2016, foram registrados 31.772 passageiros e 34.851 aeronaves.
Aeroporto Estadual Artur Siqueira (Bragança Paulista) – Possui pista de 1.200 m, terminal de passageiros com 225 m², além de estacionamento para 76 veículos. O aeroporto, que está localizado a três quilômetros do centro da cidade, atende as demandas de voos executivos. Movimentou, em 2016, 28.370 passageiros e 30.050 aeronaves.
Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro (Jundiaí) – Apresenta pista com 1.400 m, terminal de passageiros com 640 m² e estacionamento para 50 veículos. São sete quilômetros de distância do centro de Jundiaí. As operações são de voos executivos, sendo que, em 2016, recebeu 10.863 passageiros e 57.989 aeronaves.
Aeroporto Estadual Antônio Ribeiro Nogueira Jr. (Itanhaém) – Possui pista de 1.350 metros, terminal de passageiros com 1.500 m² e estacionamento para 60 veículos. Está localizado a três quilômetros do centro da cidade. Em 2016, recebeu 13.479 passageiros e 11.538 aeronaves.
Aeroporto Estadual Gastão Madeira (Ubatuba) – A pista do aeródromo possui 940 m, terminal de passageiros com 70 m² e estacionamento para 15 veículos. Recebeu 3.512 passageiros e 3.625 aeronaves em 2016.