Search
sexta-feira 17 novembro 2017
  • :
  • :

Mateus, um mestre no caminho

O homem, renascido das águas sagradas na fonte batismal, encontrou o princípio natural do planeta e o transformou com o serrote de Simão (dual nas faces de sua lâmina, de um lado raiada como o sol que desce na manifestação divina, e do outro reto, como deve ser o caráter dos seres).
No segundo passo, a fé concreta (e assim, a confiança plena é ensinada por Tomé). É a necessidade das civilizações estruturadas, mas com o foco vital na luz divina que desce dos céus. Desta forma podemos avançar para o terceiro passo: presença do movimento em direção às vivências da alma que busca seu retorno à casa celeste.
Então, agora surge o primeiro mestre. Aquele que irá conduzir o discípulo em nome das esferas celestes, que representa o número 4 da colunata e também a ciência pura do amor. Este é o eixo que deverá ser usado para o bem da humanidade e glória do Ser.
Mateus é o sábio que surge para instruir, explicar e compartilhar conhecimentos necessários no êxito da jornada. Ele adverte o buscador para que seja firme em sua jornada. Que não vagueie em teorias sem aplicação concreta e eficiente. Seu conselho se aplica ao Ser e não reproduzir discursos não-vivenciados, experiências que não são as suas. A pluralidade da manifestação do Criador se apresenta em singularidades que compõem o todo. Cada ser é único. É importante saber quem você é.
Na concretização dos elementos da natureza e reinos que agora evoluem no plano divino, Mateus convida o buscador a uma atitude reflexiva. Quais são as instruções contidas no livro sagrado e, ao mesmo tempo, quem é esse que observa este livro e pode ter sua mente expandida e seus sentidos ampliados?
A atitude reflexiva exige tempo, labor, calma. A natureza não dá saltos e ainda estamos no trecho da manhã na arcada dos mercurianos. O momento do aprendizado das lições solares de Mateus deverá ficar gravado na alma e agora a seta segura aponta a trilha. Neste momento com o sábio, uma pérola da humanidade poderá servir de archote: “A mente que se abre a uma nova ideia, jamais volta ao seu tamanho original.” – frase de Albert Einstein, muito oportuna para este momento com o poder de organização do número 4.
Nesta esfera é importante permanecer o tempo que for necessário. Caso for preciso se retirar e retomar o caminho do sol em outra oportunidade, não avance; prefira um tempo para meditar sobre este encontro. O próximo passo será dado com André. A simplicidade, o desapego e o ego estarão expostos e colocados à prova.
Quem é você? De onde veio? Onde está? Aonde irá?
Quatro perguntas emanadas do quarto passo. Então, agora olhe para Mateus e tente respondê-las. Você está pronto para André?

 

Por Cláudio MariottoTerapeuta

11/11/2017