Search
sábado 19 agosto 2017
  • :
  • :

Taubaté pode ter um ambulatório de dependência química no combate ao Crack

Guará Filho (PR) propôs a criação do ambulatório via requerimento na última Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Taubaté
Na Sessão da última segunda-feira, dia 12, o requerimento de autoria do Vereador Guará Filho (PR) que trata sobre a criação de um ambulatório de dependência química foi aprovado por unanimidade pela maioria dos parlamentares. A ideia da criação do ambulatório surgiu o resultado de uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), e que mostra que a cidade de Taubaté está com alta incidência no número de dependentes de Crack em relação a outros municípios da região.
“Quando tomei ciência da pesquisa realizada pela CNM fiquei muito preocupado. O assunto droga é um tema tão atemporal que cabe trabalhamos políticas publicas relacionadas à questão a todo tempo, pois temos a obrigação de dar outra oportunidade a estas pessoas que estão e são dependentes da droga, principalmente o Crack”. (Ver. Guará Filho – PR).
A Prefeitura de Taubaté dispõe para a população as unidades do CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial, Álcool e outras Drogas) que realizam trabalho preventivo com orientação sobre drogas em escolas e ampliação de programas aos jovens e adolescentes com a Secretaria de Esportes. Guará Filho (PR) afirma que a proposta do ambulatório vem para somar aos trabalhos do CAPS AD no município, trabalhando em conjunto contra o Crack.
“Acredito que uma equipe completa, com psiquiatra e um time inteiro, até o estagiário de psicologia, de educação física, todos trabalhando integrados, com reuniões semanais é um modelo bem estruturado em que os profissionais de diversas áreas interagem, respeitando os campos de ação um dos outros. Essa é uma proposta de um ambulatório com nível de complexidade crescente”. (Ver. Guará Filho – PR).
Lembrando que segundo informação do próprio Prefeito Municipal, Ortiz Junior, este ano foram cadastrados 325 usuários de drogas, destes em torno de 40% são usuários de Crack. O requerimento do vereador Guará Filho (PR) depois de aprovado em Sessão segue para o Executivo Municipal, que tem o prazo legal de 15 dias para se posicionar quanto ao assunto.