Search
sexta-feira 24 novembro 2017
  • :
  • :

Oshibana – Arte de Prensar Flores

Mirian Tatsumi

Como preservar flores, folhas, caules e até frutas, em uma tela?  Um modo de conservação, técnico-artístico, aprimorado no Japão, realiza essa descoberta artística. Há relatos do surgimento de amostras de plantas medicinais, através de correspondências, de pesquisadores em Botânica, na Europa, no século XV. Mais tarde, na Inglaterra, século XVII, flores e folhas emolduradas e prensadas, em pequenos artefatos, foram encontrados com características decorativas.

Surgiu, com isso, um perfil ornamental, para a expansão da Arte Oshibana. Os ingleses levaram essa arte para os Estados Unidos e, hoje, é amplamente divulgada através de exposições internacionais de Arte em Oshibana, na maior parte dos países do mundo.

Conversei com a artesã, uma mestra, em Arte Oshibana, Mirian Tatsumi que falou sobre o assunto com carinho, começo pela origem da palavra japonesa, Oshibana, que vem do verbo “Osu”: que é apertar, prensar, empurrar, e, a palavra “Bana”, (hana), quer dizer: flor. Oshibana significa flores prensadas. No meu trabalho, eu uso flores naturais, não é colagem, são sobrepostas, a vácuo, nos quadros. Se o vidro do quadro quebra, as flores caem. As flores são a vácuo para não perder a cor, não criar fungos, não estragar, não amarelar com o tempo”.

Perguntei-lhe em relação à preservação de uma obra. Tibério, se a pessoa não colocar, diretamente, ao sol, passa anos e anos, podemos eternizar a planta. Muitas vezes, eu recebo encomendas. Por exemplo: recebo um buquê de uma noiva, e ela quer que o buquê fique eternizado dentro da moldura”, explicou Mirian.

A entrevistada é autora da Obra de Oshibana em exposição

Pioneirismo no Brasil

Mirian Sanae Ueda Tatsumi, nasceu na cidade de Ribeirão Pires, em São Paulo, é filha de japoneses, formada em Relações Públicas. Mirian Tatsumi viveu por sete anos, (1993 – 2000), na cidade de Kashiwa-shi, província de Chiba, no Japão. A artista, com estilo próprio, é mestra na arte Oshibana, à qual se dedica desde 1996, e, fundadora no bairro da Liberdade, em São Paulo, da Escola Oshibana Art. Instituição pioneira na divulgação dessa técnica artística no Brasil.

Foi no Japão, com o requinte da manifestação, de riqueza natural, em sua obras, que Mirian Tatsumi deu início ao aprendizado técnico em Oshibana, ao ter como mestre, Shizuka Yamada, no período de 1996 ao ano 2000. Recebeu a graduação de mestra, licença para utilização da técnica e do nome Oshibana Art, aqui, no Brasil, pelo mestre, Nobuo Sugino, presidente da escola em que estudou.

Anualmente, vai ao Japão para aprimoramento da arte Oshibana, participou de exposições no Brasil, e no exterior, com premiações de algumas de suas telas. É membro da Associação Internacional de Artistas de Oshibana (The Worldwide Pressed Flower Guild), sediada nos Estados Unidos e, fundadora no Brasil, em 2014, da Associação Brasileira de Arte Oshibana – ABAO.

 

Por Tibério de Sá Leitão

E-mail: [email protected]