Search
quinta-feira 18 Janeiro 2018
  • :
  • :

Família ProJudô: Trajetória da história do Sensei Mariano

Vamos falar um pouco da vida e trajetória do Sensei (professor) Sidney de Souza Mariano, que neste ano de 2017 graduou-se a Faixa Preta 1º DAN. Essa história serve para aqueles que desejam saber como é que faz para ser Faixa Preta de Judô?
Mariano é casado com a senhora Fabiana da Silva Augusto Mariano pai de Karine Rodrigues Albino Mariano, Laura Silva de Souza Mariano e Isadora Silva de Souza Mariano, nasceu na cidade de Juiz de Fora em Minas Gerais, e no ano de 2005, passou no concurso de sargento do Exército Brasileiro.
Essa história é nas palavras do próprio Sensei Mariano:
“Fui apresentado ao judô no início de 2012 por meu amigo de trabalho Hildson, então 2º Kyu (faixa roxa), que me deu os primeiros Ippons (pontuação perfeita). Minhas primeiras lições da arte do Mestre Jigoro Kano foram com o então Sensei 4º Dan Antônio, um dos professores da Associação ProJudô. O treinamento era na Academia Bem Estrar, durante o horário de educação física do meu trabalho.
Posteriormente conheci o Sensei Regis, então 4º Dan, assim passei a treinar também as terças e quintas no polo da igreja São Pedro no Alto do Cristo no período da noite, que é considerado o primeiro polo da Associação ProJudô.
No dia 15 de Abril de 2012 me associei a ONG ProJudô, me tornando oficialmente aluno. Pude aprender muito com a convivência com outros alunos, de faixas etárias variadas, com objetivos e níveis técnicos distintos. Com o passar do tempo conheci os outros professores, polos e atletas, agregando muito a minha caminhada.
Então em meados de 2012, meu Sensei julgou que eu tinha o conhecimento necessário para realizar meu primeiro exame. Composto de provas escrita, oral e prática. Permito-me dizer que é uma excelente didática de ensino da aprendizagem. Assim em Outubro de 2012 fui promovido à faixa azul com ponta amarela (6º kyo).
Participei de festivais onde pude conhecer a adrenalina da competição, a alegria da vitória e a frustação da derrota, assim comprovando a necessidade da constante busca do aprimoramento físico e principalmente mental que são uns dos principais objetivos do Caminho Suave.
Acompanhei a equipe de Judô do Comando de Aviação do Exército (CAvEx), na competição do Comando Militar do Sudeste (CMSE), podendo assim visualizar uma competição de alto nível. Oportunidade onde pude adquirir muitos conhecimentos.
Passado o período de carência e com o aval de meu Sensei realizei o exame para faixa amarela. Com o apoio de meus companheiros de treino, logrei êxito vindo a ser promovido em Agosto de 2013 à faixa amarela (5º kyo).
Com um grau de responsabilidade maior, por agora como graduado ajudar os iniciantes, continuei a caminhada na busca pelo conhecimento. Em Julho de 2014 fiz o exame para faixa laranja (4º kyo).
A maior integração com a diretoria da Associação ProJudô, proporcionou me a oportunidade de maior entendimento dos objetivos da entidade, que é o apoio às famílias na formação de cidadãos melhores, assim passei a participar mais das atividades da diretoria.
Com uma carga maior de treino e já com a oportunidade de ser monitor durante as aulas, em Dezembro de 2014 fiz o exame e fui promovido à faixa verde (3º kyo).
Em 2015, então no 2º Kyo (faixa Roxa) me foi proposto um grande desafio. Meus professores confiaram a mim, a responsabilidade de assumir as aulas de um Polo, juntamente com meu amigo Eric também faixa roxa. Nós apoiamos um no outro a fim de transpor os obstáculos dessa nobre missão. Procurando sempre honrar a confiança de meus professores, e tentar retransmitir os ensinamentos aos alunos iniciantes o conhecimento tão bem ensinado por nossos Senseis.
O Polo em questão foi uma parceria com o Projeto Esperança, onde pude conhecer a maravilhosa arte de ministrar aulas, conviver com familiares e participar e colaborar com seus sonhos e aspirações. Vi algumas crianças frágeis e tímidas se tornarem pessoas mais compenetradas e fortes com a ajuda do judô. Vi pais se tornarem alunos junto com seus filhos, terem uma grande melhoria de qualidade de vida afetiva, física e melhora na autoestima. Tais mudanças influenciaram em suas vidas acadêmicas, profissionais e familiares, o que torna nosso esforço gratificante.

No ano de 2016 tive a oportunidade de fazer parte da equipe de Judô de Taubaté. Com treinos voltados para o judô competitivo, tive uma rotina completamente diferente do meu dia a dia. Carga intensa de treinos técnicos, preparação física e Randori (luta) duras para preparação. Meus Senseis Regis Cândido da Silva e Roberto Costa Filho, então técnicos da equipe me proporcionaram outro prisma da forma de ensinar Judô. Ensinamentos que agregaram à minha atividade de lecionar os ensinamentos do Mestre Kano.

O Judô me proporcionou uma de minhas maiores alegrias! Hoje sou chamado de Sensei quando sobre o tatame por minhas filhas Laura de 8 anos e Isadora de 4 anos, que tão jovens foram conquistadas pelos ensinamentos do Mestre Jigoro Kano. Com isso tenho a oportunidade de dividir com elas o pouco de conhecimento que já adquiri nesse tempo de caminhada.

Sabiamente desde a fase de graduação para o 3º Kyu (faixa verde), meus professores iniciam gradativamente o aprendizado dos conhecimentos necessários para o exame à Shodan (faixa preta 1º Dan). Comecei essa caminhada juntamente com o professor Eric que se preparava para Shodan e o Sensei Daniel que se preparara para o exame para Ni Dan (faixa preta 2º Dan).

Em um momento dessa caminhada necessitei do apoio de um UKE (aquele que cai) para os treinos. Meu amigo: Clayton Fonteles aceitou o desafio de absorver uma grande gama de conhecimento a fim de me ajudar nessa empreitada e com isso começou uma intensa rotina de treinamento, cursos preparatórios e colaboração mais intensa nas atividades de Judô nas mais diversas cidades do Vale do Paraíba.

Alternando entre Emprego, ministrar aulas de judô, treino e com certeza apoio e compreensão da família mais especificamente de minha esposa Fabiana, fomos nessa caminhada em busca do conhecimento.

No dia 28 de Outubro do corrente, realizei o tão esperado exame de graduação a Shodan. Foi colocado à prova no Dojo todo esse ciclo de esforço e abnegação de todos. Mesmo com muitas horas de treinos, e sentir-me preparado, a carga emocional era inevitável. Porém com um UKE bem preparado, (Clayton Fonteles) e a presença de meus Sensei Regis, Vicente e Fábio e os demais Senseis e companheiros na torcida, as dificuldades do momento foram superadas.

No final fomos aprovados e agora como Shodan (que significa o início) e começo a trilhar no Judô (Caminho Suave) rumo ao conhecimento. Desde já, agradeço o apoio e dedicação dos envolvidos na conquista de uma vitória que é de todos! OSS!!!

A Diretoria do ProJudô, professores, alunos, pais e familiares parabenizam pela conquista da faixa preta e por todo dedicação/desempenho durante o ano que o prepararam para atingir sua meta e agradece aos seus parceiros: Projeto Esperança, Academia Bem Estar, AC Editoração, Quality Contabilidade e o presidente da Associação de Moradores de Bairro da Santa Fé e Diretora Flávia Cristina de Oliveira da Escola Professor Dr. Ramon de Oliveira Ortiz e Mr Graf tudo de gráfica para sua empresa.