Search
domingo 23 julho 2017
  • :
  • :

Coluna do Luiz Carlos Batista – 22/07/2017

As famílias no poder
Algumas famílias em Taubaté são muito conhecidas pela participação na política. Oliveira Costa, Guisard, Peixoto e, mais recente, Ortiz. Da década de 1980 para cá, nossa geração conhece o poder político da família Ortiz. Começou em 1982 com a eleição do professor José Bernardo Ortiz, que exerceu o cargo de prefeito por três mandatos (1983 a 1988, 1993 a 1996 e 2001 a 2004).

Ortiz
A influência de Ortiz era tão grande que ele elegeu os sucessores Salvador Khuriyeh (1989 a 1992) e Mário Ortiz (1997 a 2000), e ajudou a eleger Roberto Peixoto em 2004. Em 2012, foi eleito Ortiz Junior, que foi reeleito em 2016. Ortiz é recordista de mandato e de tempo na Prefeitura: três gestões, que totalizaram 13 anos e 11 meses (no primeiro mandato, ele assumiu dia 1º de fevereiro de 1983, e deixou o cargo dia 31 de dezembro de 1988).

Oliveira Costa
Não conheço a história da família Oliveira Costa. Mas, em conversa com o pesquisador Pedro Rubim, ele contou que Pedro Costa (patrono da Câmara) teve muita influência política em sua época, talvez mais do que Ortiz nos tempos modernos. Segundo o livro “Contribuição à História de Taubaté”, de Umberto Passarelli, Dr. Pedro Costa foi eleito prefeito em 1912, deputado estadual por duas legislaturas (1913 a 1918) e deputado federal eleito em 1919, reeleito em 1921 (não consta detalhe dos períodos).

Guisard
Félix Guisard, que fundou com dois amigos a CTI (Companhia Taubaté Industrial), foi prefeito (1926 a 1930). Depois, Félix Guisard Filho (1952 a 1955); e o primo Jaurés Guisard (1956 a 1959), que voltaria a ser prefeito de 1964 a 1969. Jurê também foi deputado estadual e vereador (1948 a 1951). Seu irmão, Oswaldo Barbosa Guisard, vereador de 1956 a 1959.

Peixoto
A saga dos Peixoto no poder começou com Moacyr de Alvarenga Peixoto, eleito vereador por sete mandatos (mas faleceu seis meses depois da última eleição). Seu poder político era tão forte que elegeu vice-prefeito, por duas vezes, seu irmão Milton de Alvarenga Peixoto, que morava em São Paulo. Milton também foi prefeito de 1973 a 1976. Roberto Peixoto foi vereador de 1989 a 1996, vice-prefeito de 2001 a 2004 e prefeito de 2005 a 2012. Carlos Peixoto foi vereador de 2005 a 2016. Total: a família Peixoto ocupou cargos na política por 66 anos.
Peixoto apolítico
Não é bem apolítico, mas Moacyr Pereira Peixoto, filho do vereador que se elegeu por sete mandatos, nunca saiu candidato, mas tem sua força política. Sempre foi um grande cabo eleitoral, porque é um homem sério, honesto e muito simpático, chamado pelos amigos de Moacirzinho.

Kara José
Também teve muito poder na cidade Ary Kara José, a começar pela vereança, de 1969 a 1972. Foi duas vezes deputado estadual (1983-1986 e 1987-1990) e quatro vezes deputado federal (1991-1995, 1995-1999, 1999-2003, 2003-2007). Em 1988 foi secretário de Estado de Negócios Fundiários. Sua influência se espalhou pela região do Vale do Paraíba, ao ponto de chama-lo de “governador do Vale”. Seu primogênito, Ary Kara José Filho, foi vereador por um mandato (2009 a 2012).